segunda-feira, 31 de julho de 2017

"Meu marido quer me exibir. E agora?"


 


Olá, meninas. Hoje irei falar sobre um fetiche que é extremamente comum entre casais jovens e inexperientes, mas que é muito pouco falado nas redes sociais. Estamos falando do exibicionismo.
O exibicionismo é sem dúvida a principal porta de entrada para o mundo liberal dos fetiches. É muito comum que o Cuckold, o Swing, o Dogging e o ménage sejam precedidos por uma fase inicial em que o casal experimenta o prazer da exibição.
Aquele casal curioso, que tem mil fantasias, mas que não está ainda decido a colocar nada em prática, deveria pensar na possibilidade de começar suas aventuras pelo exibicionismo. Seja ele praticado ao vivo diante de outras pessoas, ou com outro casal na forma de um mesmo ambiente ,ou ainda, pela exibição virtual online através na cam (câmera digital).
Há também aqueles casais que cadastram um perfil em rede social apenas pra expor fotos ou blog pra contar aventuras, sem intenção de conhecer pessoas. Recomendamos o Sexlog, por exemplo. Puro exibicionismo. O prazer de receber comentários nas fotos e a total falta de interesse em aprofundar esses contatos, revela o desejo único pela exibição.
Como diz o ditado “o que é bonito é pra se ver”. Dentro dessa lógica, a pessoa que deixa seu lado exibicionista aflorar, mesmo que de forma curiosa e amadorística, pode experimentar um tipo de prazer rejuvenescedor, e que eleva aos mais altos níveis a autoestima, tão importante pra quem deseja ingressar em qualquer outro tipo de fetiche.
Os tempos mudaram. Muitos maridos, que antes personificavam o machismo em pessoa, ao esconder ao máximo as belezas naturais de suas esposas, foram arejando a cabeça e não mais tão raros são os que exibem mundo virtual a fora fotos ousadas de suas parceiras em poses sugestivas e lingerie sensuais.
Orgulhoso pelo efeito que sua musa causa nos demais homens, esse novo tipo de marido não poupa elogios frequentes à parceira e vive a se vangloriar do fato de que ela é sim, as mais desejada mulher que ele já conheceu. 
Cada piscada ou olhada na rua, cada comentário abaixo de uma foto, cada mão boba eventual que aconteça num mesmo ambiente, toda e qualquer manifestação de desejo que outro homem expresse a sua mulher, se transforma em uma medalha de ouro, que reafirma a paixão que esse nobre homem sente por sua poderosa mulher.
Nas casas de Swing, adeptos do exibicionismo não ficam deslocados apenas observando os outros. Existe muito campo para ser trabalhado dentro desse fetiche. A possibilidade de ver outros casais. E principalmente, a possibilidade de se exibir para outras pessoas pode tornar toda a relação muito mais interessante.
Para os que curtem viver algo mais intenso e perigoso, o exibicionismo na rua, em locais públicos, praças, shoppings e qualquer lugar público vem acontecendo diariamente de diferentes formas, por um número crescente de casais.
Existem os que combinam tudo isso ao modismo da “Self”, fotografando a si mesmos nos lugares mais inusitados e perigosos. Parece que de alguma forma a mistura de exibição com adrenalina potencializa os resultados.
O Dogging é um fetiche muito associado a esse prazer que une o perigo ao exibicionismo. Nele, esposas de dentro do carro se exibem a estranhos que passam por ali, sem que necessariamente nada tenha sido previamente combinado.
Todo fetiche pode ser praticando em diferentes níveis. O ideal para o casal que está começando é iniciar pelo guarda roupa. O marido investe numa “reforma” de visual da esposa. Compra roupas mais justas, sexys, ousadas. Alguns pagam salão, tratamento de pele, e tudo o mais que for ajudar a explorar o lado selvagem de sua esposas
O resultado costuma ser maravilhoso. A auto estima da mulher sobe em níveis estratosféricos e o orgulho do marido em ter uma mulher que desperta o desejo dos demais é crucial para melhorar muito o desempenho sexual do casal na cama. Isso pra não falar da vantagem óbvia que a mulher tem de ser tão bem tratada, né?
Nesse sentido, o exibicionismo pode ser uma clara porta de entrada para o fetiche Cuckold. Nele, o marido transforma sua esposa numa deusa, com direitos ilimitados, até mesmo a infidelidade consentida e apreciada pelo marido.
Infelizmente, algumas mulheres associam o ciúme do marido com o sentimento que eles têm por elas. Para essas mulheres, o marido precisa ser ciumento. Ou, ao menos, parecer. E dessa forma, cabe ao marido que curte exibi-la, fingir seu ciúme por mera necessidade de prestar contas à parceira.
Recomendo a vocês, amigas, que reflitam profundamente sobre essa forma de enxergar o afeto no relacionamento. Muitas vezes, a verdade é justamente oposta a esse senso comum. Ou seja, o homem muito possessivo e ciumento é justamente aquele que mais trai. De forma contrária, aquele que te valoriza como mulher, que te coloca num pedestal, que tem orgulho do desejo que você desperta nos demais, é justamente aquele homem que mais fiel será a você. Falo isso por experiência própria, tanto pra um lado, quanto pro outro.
Por ser um fetiche leve, de fácil aplicação e com inúmeras vertentes, é possível se afirmar que o exibicionismo é o fetiche mais frequente e de maior aceitação entre os mais variados grupos de pessoas. Sendo assim, há muito o que se pensar sobre os benefícios de se começar por esse fetiche, em vez de atropelar etapas e correr o risco de ver tudo desandar. 
Agora convenhamos: ele quer que você seja cachorra? Por que não? O que você sai perdendo com isso? Há mais de 10 anos venho sendo "a cachorra do meu marido" e ele enlouquece com isso. Tudo só melhorou no nosso casamento. Vivemos numa lua de mel constante mesmo depois de tanto tempo juntos. 
Portanto, meninas, se o marido de vocês quer tanto exibi-las, aproveitem! Renovem o guarda roupa. Curtam um salão. Flertem sim com outros homens. Deixem que babem por você. Se permita transformar na rainha toda poderosa que o marido de vocês tanto fantasia. Tudo isso só fará muito bem ao casamento de vocês. Seja poderosa! Espero ter ajudado. Grande beijocas!
P.S. – Recomendo o filme “Avassaladoras” com a Giovanna Antonelli e o Reynaldo Gianecchini. Ele mostra o quanto as mulheres precisam aprender sobre o seu próprio poder.

3 comentários:

  1. Sra Cuckfreedom,
    Os acessórios do fetiche (pimenta ou naipe espadas) fazem parte do exibicionismo? Vc costuma utilizar ou alguém já identificou?
    Bjs querida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Roberta.
      Sempre um prazer tê-la aqui conosco.
      A tornozeleira de pimenta, o pingente de dama de espadas fazem sim parte do exibicionismo. É uma forma muito interessante e codificada apenas para os "entendidos" de se expor publicamente.
      Nunca fomos abordados na rua por usá-los. Mas, temos um casal amigo nosso que já foi abordado na praia por um solteiro, que sabia do significado dessa simbologia. O resultado acabou sendo uma aventura maravilhosa entre os três. Bjss

      Excluir
    2. Meu marido adora me exibir em lugares que não tem conhecidos. E nesses lugares eu tenho meio que um uniforme. Vestido branco tubinho curto tomara que caia sem sutiã, calcinha minúscula (de propósito para marcar um pouco), sandália de salto alto agulha. Maquiagem carregada, esmalte vermelho na mão e pé. Certa vez fomos a uma casa noturna em outra cidade e encontramos um casal de conhecidos. A esposa do casal não se conformava, pois sabia que aquele nao é meu estilo do dia a dia....rs

      Excluir