domingo, 6 de novembro de 2016

Poliamor ou Cuckold?



Gente, faz um tempo que acompanho os excelentes textos do sha-3p, blog de Sharlenn Carvalho. A autora é assumidamente adepta do Poliamor como estilo de vida. Mas, ao contrário de mim e de minha esposa que usamos nomes falsos, tarjas no rosto e máscaras de todo o tipo, Sharlenn resolveu assumir de verdade sua opção de vida, expondo rosto, Facebook, nome real seu e de seus amores. 

http://sha-3p.blogspot.com.br/
Claro que o assunto por si só, já nos fascina. E sendo abordado assim por alguém formada em filosofia e com conhecimento do assunto, o nível de profundidade de suas discussões são únicas e de valor inestimável.
Pra exemplificar o quão agradável pode ser a leitura dessa autora, referencio aqui uma de suas citações postados no Facebook:
“E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música”. Friederich Nietzche
São infindáveis os motivos que nos levam a nos identificar plenamente com sua causa. Primeiro, Sharlenn fundamenta seus argumentos com filosofia, ciência e política. Todos temas que temos interesse verdadeiro.
Em seguida, a causa que ela defende é um estilo de vida fora dos padrões sociais, considerado por muitos como uma “anormalidade” e fora da monogamia e do patriarcalismo convencionado em nossa sociedade. Por óbvio, nos identificamos demais com sua causa. E até achamos que se trata de uma causa nossa também.
Aliás, nossa identificação com a causa da Sharlenn é tão grande, que até certo ponto chegamos a nos questionar se o que temos é realmente uma relação Cuckold ou um Poliamor. Rótulos são uteis, mas também simplificam demais um assunto tão complexo como a sexualidade e a afetividade humana.
Segundo a definição de Sharlenn em seu blog: “Quem é poliamorista? Quem se identifica com a possibilidade de se envolver afetivamente e manter relacionamentos estáveis, igualitários e consensuais com mais de uma pessoa ao mesmo tempo. Ou seja, NÃO é preciso estar em um relacionamento poli para ser poli, assim como não é preciso estar namorando com uma menina e um menino ao mesmo tempo para ser bissexual.”
Ainda segundo ela:
"As únicas "regras" pré- estabelecidas que existem no poliamor são:
- Não exclusividade afetiva/sexual entre duas pessoas (mas pode haver exclusividade em um trisal, quadrisal, etc)
- Possibilidade de igualdade entre todas as partes: todas as partes envolvidas a priori possuem os mesmos direitos e responsabilidades, porém essa igualdade não é obrigatória. Ex: se meu parceiro está em outro relacionamento ou não sou obrigada a tb estar, mas sempre terei a possibilidade de.
- Consensualidade entre todes: se uma das partes não está ciente das outras, isso NÃO é poliamor, é traição. Ou então se acorda que ninguém precisa falar de seus outros relacionamentos, porém, se pressupõem que eles existem ou podem existir."
Lendo esse conceito, nos sentimos adeptos do Poliamor quase em sua totalidade. Mas, como humanos que somos temos nossas peculiaridades que nos jogam também em direção ao estilo de vida Cuckold. Nossa primeira diferença com relação ao Poliamor é que conosco, eu, marido, fico extremamente excitado em ceder a minha esposa para outro homem.
Já a minha esposa não tem essa excitação em me ceder. Mas, ela se sente capaz e madura o suficiente para me autorizar, se assim for necessário. Nessa concepção, imagino que minha esposa seja mais poliamorista do que eu, na medida em que ela tem toda a aptidão para se envolver afetivamente com mais de uma pessoa e permitir que eu me envolva.
Eu de forma similar, penso da mesma forma. Estou apto a me envolver e a permitir que minha esposa se envolva. Mas, tenho excitação especial ao permitir que ela se envolva, o que me joga um pouco mais na vertente Cuckold.
Ambos temos consciência de que o ciúme que sentimos é reflexo de uma “construção social” a nós imposta. E sendo assim é um sentimento deletério em nossa relação. Contudo, para mim o ciúme causa excitação. Para minha esposa, causa desconforto. Ambos somos maduros para vencer o ciúme. E isso nos devolve ao conceito de Poliamorismo.
As linhas são tênues. Nunca vivenciamos uma situação em que minha esposa fosse posta a prova, e tivesse que realmente vencer seu ciúme e me permitisse viver uma relação afetiva fora do casamento. Mas, acredito mesmo que se isso acontecesse, ela seria madura o suficiente para superar o ciúme.
De qualquer forma, se somos adeptos ao estilo de vida Cuckold ou ao Poliamor, honestamente não temos certeza. Os dois estilos de vida, apesar de tão diferentes, se encaixam muito bem em nossa vida. Mas, seja qual o rótulo que queiram nos colocar, abraçaremos com orgulho. Pois estaremos vivendo nossa vida à nossa maneira. E não a maneira como a sociedade quer que vivamos.
            Dedicamos essa postagem à Sharlenn Carvalho. Obrigado por ser essa pessoa corajosa que você tem sido.
Beijo a todos!



Sr.Cuckfreedom

Nenhum comentário:

Postar um comentário